segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Cálice...


Cálice
Chico Buarque

Pai! Afasta de mim esse cálice
Pai! Afasta de mim esse cálice
Pai! Afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue...(2x)

Como beber
Dessa bebida amarga
Tragar a dor
Engolir a labuta
Mesmo calada a boca
Resta o peito
Silêncio na cidade
Não se escuta
De que me vale
Ser filho da santa
Melhor seria
Ser filho da outra
Outra realidade
Menos morta
Tanta mentira
Tanta força bruta...

Pai! Afasta de mim esse cálice
Pai! Afasta de mim esse cálice
Pai! Afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue...

Como é difícil
Acordar calado
Se na calada da noite
Eu me dano
Quero lançar
Um grito desumano
Que é uma maneira
De ser escutado
Esse silêncio todo
Me atordoa
Atordoado
Eu permaneço atento
Na arquibancada
Prá a qualquer momento
Ver emergir
O monstro da lagoa...

Pai! Afasta de mim esse cálice
Pai! Afasta de mim esse cálice
Pai! Afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue...

De muito gorda
A porca já não anda
(Cálice!)
De muito usada
A faca já não corta
Como é difícil
Pai, abrir a porta
(Cálice!)
Essa palavra
Presa na garganta
Esse pileque
Homérico no mundo
De que adianta
Ter boa vontade
Mesmo calado o peito
Resta a cuca
Dos bêbados
Do centro da cidade...

Pai! Afasta de mim esse cálice
Pai! Afasta de mim esse cálice
Pai! Afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue...

Talvez o mundo
Não seja pequeno
(Cálice!)
Nem seja a vida
Um fato consumado
(Cálice!)
Quero inventar
O meu próprio pecado
(Cálice!)
Quero morrer
Do meu próprio veneno
(Pai! Cálice!)
Quero perder de vez
Tua cabeça
(Cálice!)
Minha cabeça
Perder teu juízo
(Cálice!)
Quero cheirar fumaça
De óleo diesel
(Cálice!)
Me embriagar
Até que alguém me esqueça
(Cálice!)

Composição: Chico Buarque e Gilberto Gil

Durante o período militar, muitas formas de arte foram censuradas, por apresentarem oposição à ditadura. U
m dos exemplos mais marcantes do período foi a música Cálice, composta por Chico Buarque em parceria com Gilberto Gil. Além do título da composição ter som idêntico à expressão Cale-se, seus versos poderiam ser confundidos com uma divagação religiosa. A música foi composta no ano de 1973.

10 comentários:

  1. A música é uma forte crítica à ditadura. O cálice ao qual ela se refere é uma espécie de metáfora com o cálice de Jesus Cristo: O vinho comparado ao sangue amargo em dor e traições de pessoas assassinadas pelo desejo de liberdade.

    Mariana Diniz - 9°E

    ResponderExcluir
  2. Essa música faz uma crítica não-explícita à ditadura, na qual a palavra ''cálice'' na verdade quer dizer ''cale-se''. Foi uma forma de desabafar e criticar o governo altamente autoritário da época.

    Janaína Guerra - 9º ano E

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela postagem e pelas leituras.
    Continuem assim.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. essa estrofe expressa bem o que era a ditadura naquela época, além de ver as coisas erradas tinham que ficar calados para não serem perseguidos mais mesmo assim ainda eram perseguidos.
    ''Como é difícil
    Acordar calado
    Se na calada da noite
    Eu me dano''

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigado pelas informações aqui dadas, precisava realmente encontrar o sentido dessa música que, ao ouvi-la eu viajei no ritmo, letra e poesia, fiquei emocionado, com o refrão e como é posta as palavras firmes como "cálice". O sentido parece bem evidente com relação à ditadura, mas a música perpetua até hoje, no que atualmente estou estudando o "Barroco" parece-me que também ela pode ser usada no sentido literário, embora outra época em outra questão, corrijam-me se estiver errado, por favor, muito obrigado Alexandre Fester.

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Muito boa essa letra, é um clássico!
    Abraços,
    Zuza Zapata
    www.zuzazapata.com.br

    ResponderExcluir
  7. Aeee, belo post, vou posta-la no meu blog e pesquisando achei voces, parabens !!!

    ResponderExcluir